Sylvinho não defende Cássio. Técnico faz do Corinthians um triste time bipolar – Prisma

Os melhores preços da Black Friday 2021 para TVs, caixas de som e casa conectada – Brasil – Tecnoblog
novembro 26, 2021
Achados do TB reúne as melhores ofertas de verdade da Black Friday – Tecnoblog – Tecnoblog
novembro 26, 2021

Sylvinho não defende Cássio. Técnico faz do Corinthians um triste time bipolar – Prisma



São Paulo, Brasil


“Sylvinho, Cássio é intocável?”


A pergunta foi direta, depois da falha da reposição do goleiro, que propiciou o primeiro gol do Ceará, na vitória do time nordestino contra o Corinthians, por 2 a 1.


O treinador foi evasivo. Não defendeu o melhor goleiro da história do clube. Pelo contrário, ao não tocar no tema de uma maneira direta, só expôs Cássio.


“O futebol se vive de acertos e erros. trabalhamos com um grupo e vamos continuar firme. O atleta é passivo de um erro, assim como nós muitas vezes. Hoje, fomos bastante assertivos em algumas substituições, outras nem tanto. Faz parte. Todos nós acertamos, errando, é um esporte complexo, coletivo.


Ele tinha inúmeros argumentos para defender o goleiro, mas não usou nenhum de maneira direta. Pelo contrário até, o expôs.


O técnico não queria mais pressão, questionamento sobre seu trabalho.


O Corinthians segue bipolar nas mãos de Sylvinho.


É um dentro de Itaquera.


E outro fora do estádio corintiano.


Ontem outra vez esteve inconstante, tenso, dando muito espaço para o limitado, mas esforçado time de Tiago Nunes. Não é por acaso que chegou a oito derrotas fora dos seus domínios.


Sylvinho foi profundamente infeliz ao começar a partida com Luan, poupando Renato Augusto. O treinador menosprezou o Ceará. Pagou caríssimo perdendo o meio-campo.


Ele também errou ao demorar para colocar Willian em campo. Ele já estava em condições físicas, deveria ter começado a partida.


Mas Sylvinho jamais admite erro algum.


“Willian é um atleta que pouco a pouco está voltando aos treinos e jogos. Não se mostrava ainda em condição de jogo (como titular). Estamos avaliando a cada jogo, estamos saindo para uma série de viagem e jogo a cada três, quatro dias, e o Willian voltou nesse final. Não sinalizada um início de jogo, o próprio atleta, conversamos com eles.


“Vamos avaliar os próximos dias para saber as condições que ele se encontra para saber se há ou não a condição de iniciar um jogo. Entrar no jogo é uma coisa, iniciar é diferente. Vamos ouvir os departamentos e, obviamente, os atletas.


“Com relação ao Renato, é um atleta que vem de 13 ou 14 jogos seguidos, sinalizou um cansaço muito grande após o jogo contra o Santos, a recuperação não foi total, o atleta sinalizou uma situação de cansaço, do qual ele não tinha condição de iniciar o jogo. Veio, esteve conosco, nos ajudou em 30 minutos”.


“Luan é um atleta que tem treinado bem, estava esperando uma oportunidade, uma chance e o momento era do Luan. Não entendo uma questão de aproveitar ou não. É um atleta que está, que participou e, na ausência de Renato, entendemos que era momento de Luan jogar.”



A verdade é que a derrota teve impacto.


Outra vez o clube não dispara na tabela, na briga pela classificação para a Libertadores na fase de grupos. Fugir da disputa da ‘pré-Libertadores’, uma trauma no Corinthians. Basta lembrar do Tolima e do Guarany do Paraguai.


Segue na quarta colocação. Mas a um ponto só do Fortaleza e do Red Bull Bragantino. Poderia estar a quatro. E tem o Fluminense, a dois pontos.


A derrota foi muito prejudicial.



Enfim, o clima segue bipolar no Corinthians.


Depois da excelente vitória diante do Santos.


A derrota dolorida e merecida contra o Ceará.


Com grande participação no fracasso em campo de Sylvinho.


Muito maior do que a de Cássio…



Fonte da Notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *