MS disputará a fase nacional das Paralimpíadas Escolares com 72 atletas em sete modalidades – Portal do Governo de Mato Grosso do Sul

Positivo lança notebook Motion C4120F-AX com botão Alexa e Windows 11 – Computador – Tecnoblog
novembro 21, 2021
Presidente eleita, Leila discursa para sócios e agradece Galiotte; Mancha Alviverde faz apresentação – Esportes
novembro 21, 2021

MS disputará a fase nacional das Paralimpíadas Escolares com 72 atletas em sete modalidades – Portal do Governo de Mato Grosso do Sul


Mato Grosso do Sul disputará a fase nacional das Paralimpíadas Escolares 2021 com 72 atletas. O maior evento do mundo para jovens com deficiência em idade escolar acontecerá no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo (SP), de 23 a 26 de novembro. A delegação sul-mato-grossense é organizada e coordenada pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), e embarca na segunda-feira (22) de manhã.

De acordo com o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que organiza a competição desde 2009, ao todo 851 estudantes-atletas, na faixa etária de 11 a 18 anos, estão inscritos, de 24 unidades federativas – as exceções são Alagoas, Minas Gerais e Rondônia. A equipe sul-mato-grossense é composta, no total, por 114 pessoas, incluindo atletas, membros de estafe, técnicos, fisioterapeuta, atletas-guia, assistentes e chefe de delegação. Confira aqui a relação nominal da delegação.

Os paratletas de Mato Grosso do Sul disputarão sete das 13 modalidades presentes nas Paralimpíadas: atletismo, bocha, futebol de sete (para paralisados cerebrais), judô, natação, parabadminton e tênis de mesa. Em 2019, última edição realizada, o estado foi representado por 76 estudantes-atletas, que conquistaram 93 medalhas. Mato Grosso do Sul terminou em 10º lugar na classificação geral, com 184 pontos.

Para o diretor-presidente da Fundesporte, Marcelo Ferreira Miranda, as Paralimpíadas Escolares são o primeiro passo para a carreira de inúmeros atletas. “As Paralimpíadas são muito importantes, porque, muitas vezes, é ali que o paratleta se descobre, se apaixona e vai ganhando experiência para se tornar um profissional do esporte. É também uma oportunidade de interação com participantes de outros estados, uma vivência que levará para o resto da vida”.

No ano passado, o evento não foi realizado devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Em 2019, mais de 1.200 estudantes-atletas estiveram no CT Paralímpico, principal centro de excelência paradesportivo do Brasil e da América Latina, e um dos melhores do mundo quando o assunto é esporte de alto rendimento.

Texto e fotos: Lucas Castro, Fundesporte



Fonte da Notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *